Vocês se lembram quando disse (aqui) que aproveitamos as férias escolares da Maria Eduarda, minha primogênita, para conhecer um pouco mais sobre o bairro Butantã, em São Paulo? Pois hoje, vim contar sobre o Instituto Butantan, que visitamos em 16 de julho. A sede do Instituto Butantan está localizada em meio a um parque composto por uma extensa área verde e atrai milhares de visitantes anualmente, sendo um dos principais pontos turísticos da cidade de São Paulo.

Instituto Butantan

Instituto Butantan

Desde que minha filha assistiu à alguns episódios do seriado Detetives do Prédio Azul (DPA) gravados no Instituto Butantan, exibidos no canal de televisão Gloob, pedia para visitarmos o local.

Instituto Butantan

Instituto Butantan

Instituto Butantan

Minha família e eu conhecemos o museu histórico, criado em 1981 e instalado na cocheira adaptada para abrigar o laboratório onde Vital Brazil havia desenvolvido e entregue às autoridades sanitárias as primeiras ampolas de soros antipestosos. A exposição apresenta parte do piso e parede originais, e objetos dos laboratórios de pesquisa e da produção do Instituto Butantan. Conhecemos o Serpentário, uma das atrações mais visitadas do Instituto. O espaço, construído em 1912 e inaugurado em 1914, permite a observação de serpentes da fauna brasileira em um ambiente semelhante ao habitat natural.

Além deste, há outros 2 museus: o museu biológico e o museu de microbiologia:

O museu biológico é primeiro museu do Instituto Butantan, localizado em um edifício histórico, antiga cocheira de imunização, construída na década de 1920 e conta com uma exposição zoológica viva e permanente: serpentes, aranhas e escorpiões podem ser vistos em recintos que recriam seu ambiente (biodioramas). Além disso, outros animais como lagartos, peixes e insetos também fazem parte da exposição. A exposição objetiva apresentar animais vistos comumente como assustadores ou nojentos em seu contexto ambiental natural, ressaltando a importância dos diferentes organismos na manutenção dos ecossistemas.

O museu de microbiologia abriga uma exposição de longa duração onde os visitantes realizam uma viagem interativa pelo mundo invisível dos microrganismos. Computadores com filmes, animações, atividades interativas, microscópios, painéis, modelos tridimensionais de bactérias, vírus e protozoários explicam as bases da microbiologia e revelam o que são os chamados “germes” ou micróbios. Há também uma exposição interativa e lúdica para crianças de 4 a 6 anos com o objetivo de aproximá-las do mundo dos microrganismos.

Também acontece no Instituto Butantan a atividade “Mão na cobra só no Butantan” no serpentário, proporcionando aos visitantes a oportunidade de manipular falsas-corais e dormideiras. A atividade gratuita é acompanhada por biólogos.

Instituto Butantan

aguarde comunicação da Receita Federal para prestar esclarecimentos

Instituto Butantan

Instituto Butantan

Instituto Butantan

Instituto Butantan

E, embora tenha curtido bastante o espaço ao ar livre com as crianças e ter adorado observar os edifícios históricos, fiquei frustada em não poder observar o macacário do Butantan! No Instituto Butantan vive uma colônia de macacos Rhesus, animais conhecidos como a espécie na qual o fator Rh do sangue foi identificado. Os primeiros exemplares chegaram ao Instituto trazidos da Índia em 1929, para a realização de pesquisas com vírus e no desenvolvimento de vacina contra a febre amarela. Os animais são mantidos de acordo com os princípios éticos e normas de bem-estar animal, vivendo cerca de 30 anos em cativeiro. Contudo, atualmente o macacário do Butantan está em reforma, não sendo possível a observação dos animais nesse recinto.

Instituto Butantan

Quer conhecer o Instituto Butantan também? Confira os horários de funcionamento do parque, dos museus e do serpentário, aqui.

E sim, o Instituto Butantan entrou para a lista de parques e reservas ambientais de São Paulo já visitados e comentados aqui, no Blog Desafio Mamãe.

Um abraço,

Há muito tempo não trago uma receita sem leite de vaca, mais precisamente 4 meses e meio. Mas hoje, para compensar esta ausência, trago uma receita maravilhosa, além de um link riquíssimo com dezenas de receitas igualmente deliciosas.

Papel e caneta na mão (ou impressora a postos) para o registro da receita de cupcake de chocolate sem leite de vaca.

Cupcake de chocolate sem leite

Massa:

  •  1 ½ xícara (chá) de farinha de trigo
  • 1 colher (sopa) de fermento químico em pó
  • ¼ xícara (chá) de açúcar
  • Uma pitada de sal
  • 2 colheres (sopa) de cacau
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha
  • 2 colheres (sopa) de óleo
  • 1 colher (sopa) de vinagre de vinho branco
  • 1 xícara (chá) de água

Preparo da massa:

  1. Coloque todos os ingredientes numa tigela (na ordem que está na lista);
  2. Bata com uma batedeira manual;
  3. Colocar nas forminhas de cupcake (dê preferência para aquelas forminhas de silicone que não precisam untar);
  4. Pré-aqueça o forno a 200 graus por cerca de 20 minutos e observe para não passar do ponto.

Cobertura:

  • Meia xícara (chá) de açúcar
  • ¼ xícara (chá) de cacau
  • 3 colheres (sopa) de água

Preparo da cobertura:

  1. Misture na panela os ingredientes para a cobertura;
  2. Mexa até dar a consistência que desejar.

A receita foi retirada da coletânea de receitas doces do grupo do Facebook chamado Meu filho é alergico a leite – MFAL. A autora da receita é a Taciana Albuquerque e a receita foi aqui compartilhada com a permissão da administradora do grupo.

Para acessar o grupo Meu filho é alergico a leite – MFAL clique aqui.

Para acessar a coletânea de receitas doces e curtir esta dica riquíssima, clique aqui.

Receita de dar água na boca, não é mesmo?

Se você deseja enviar a sua receita sem leite de vaca, seja Colaboradora.

Um abraço,

O Congresso Nacional Brasileiro oficializou em 1965 o dia 22 de agosto como o Dia do Folclore Nacional, uma forma de valorizar as histórias e personagens do folclore brasileiro. E, em comemoração ao Dia do Folclore, que tal mergulhar conosco neste mundo divertido e possibilitar a passagem da cultura folclórica nacional de geração para geração?

O próximo domingo, 20 de agosto, será marcado por histórias do Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Curupira, Boto, Boitatá e muito mais. Onde? Na Toca da Raposa, uma reserva ambiental num pedaço da mata atlântica. A presença do Saci está confirmada. A Iara, a Cuca e o Curupira talvez apareçam também.

A convite do Tio Barnabé, minha família e eu estaremos lá. E, se você desejar participar desta aventura conosco, participe do décimo primeiro sorteio do Blog Desafio Mamãe!

Sobre o evento:

Folclore na Toca

Sobre o sorteio:

Na próxima quarta-feira (16 de agosto) serão sorteadas 3 cortesias (entradas) para você se divertir com sua família neste evento inesquecível.

Para participar, clique aqui e em seguida em “Quero Participar”. Mas atenção, se você deseja participar do nosso sorteio através do celular, é preciso baixar o aplicativo Sortei.me.

A Toca da Raposa está localizada na Rodovia Régis Bittencourt, Km 323 – Juquitiba – São Paulo.

Conto com sua participação!

E boa sorte!

Publipost

Um abraço,