Sim, sou louca por festas! Por isso, não é a toa que amigos e leitores que acompanham o blog há um tempo estão me perguntando sobre os preparativos das festas de aniversário da Maria Eduarda, minha filha mais velha que em 5 dias completará 7 aninhos, e da Maria Júlia, a caçula que em pouco mais de 2 meses completará 1 aninho.

Assim, para responder a pergunta de amigos e leitores do blog, venho hoje contar o que venho preparando para os dias dos aniversários das pequenas.

Aniversário de 7 anos

Pela primeira vez, não faremos festa para amigos e familiares em comemoração do aniversário da Maria Eduarda.

Tomei esta decisão porque percebi que na sua última festa de aniversário (post completo aqui) que sua atenção estava totalmente voltada para as amiguinhas (mais do que nunca). Então, porque não fazer algo somente para elas?

Foi assim que escolhi a Tiny Tea, que possui um espaço para festas totalmente focado nas meninas. Minha filha adorou a ideia e desde então conta os dias para o seu tão sonhado chá de bonecas.

A comemoração do seu 7º aniversário contará com transporte exclusivo para as crianças, workshop (customização de uma jardineira para as bonecas), chá de bonecas com salgadinhos e docinhos e o tão esperado momento do parabéns. Já escolhi o look das Marias para o evento e logo logo trago post com todos os detalhes para vocês.

Aniversário de 1 ano

Ah, esse sim vai contar com festa para amigos e familiares. Contudo, diferente do aniversário de 1 ano da primogênita que contou com 120 convidados (post completo aqui), a festa de aniversário de 1 ano da Maria Júlia será intimista, contando com apenas 50 convidados.

Já foi tema de post daqui do blog a lista de convidados, e seguindo esta linha de pensamento, convidarei apenas pessoas que de fato conhecem a Maria Júlia, se importaram em vir visitá-la e fazem parte do nosso dia-a-dia.

Além da lista de convidados, a data e o horário também foram definidos. O local escolhido foi a residência da família  (como no aniversário de 4 anos da Maria Eduarda) e o tema será fazendinha.

Desta vez, fugi dos personagens da Disney e dei preferência para um tema alegre, cheio de cores e estampas brasileiras.

Faltando apenas 69 dias para a festa, a maioria dos serviços já foram fechados, como buffet em domicílio, foto, filme, retrospectiva, cama elástica e aluguel da mesa do bolo.

Para esta festa, muitas fotos do Pinterest me serviram de inspiração. Quer conferir?

Os preparativos das festas de aniversário de 2017

Os preparativos das festas de aniversário de 2017

Os preparativos das festas de aniversário de 2017

Os preparativos das festas de aniversário de 2017

Os preparativos das festas de aniversário de 2017

Os preparativos das festas de aniversário de 2017

Os preparativos das festas de aniversário de 2017

Não é preciso dizer o quão estou ansiosa para as festas de 7 anos e de 1 aninho das minhas Marias, né?

Assim que as fotos e os trailers ficarem prontos, venho correndo mostrar para vocês!

Ah, quer ver mais fotos de inspiração do Blog Desafio Mamãe no Pinterest, clique aqui.

Um abraço,

Hamburgueria Le Pinguê

20 de Janeiro de 2017

Foi na penúltima terça-feira que meu marido e eu saímos para comer hambúrgueres com as crianças e optamos por trocar uma famosa rede de fast food por uma recém inaugurada loja de hambúrgueres gourmet próxima da nossa casa. E foi assim que conhecemos a Hamburgueria Le Pinguê, que além de deliciosos hambúrgueres conta com área para as pequenos.

Depois, descobri através do site da empresa que trata-se de uma franquia, e que por isso você pode encontrar a Le Pinguê em 4 diferentes estados brasileiros, em 25 unidades. Encontre a Le Pinguê mais próxima de você clicando aqui.

Hamburgueria Le Pinguê

E, como tínhamos deixado os aparelhos de celular no carro, acabei por não tirar fotos do local (uma pena). Contudo, siga o Blog Desafio Mamãe no Instagram que prometo publicar fotos do local assim que voltarmos lá.

Unidade que visitamos:

R. do Anastácio, 737 – City América – São Paulo, SP
11 2372-3522
cityamerica@lepingue.com.br
Ter, Qua, Qui: 11:15h – 22:15h / Sex, Sáb, Dom: 11:15h – 23:15h

Este é o quarto post do blog com dica de restaurante para ir com crianças. São restaurantes que, além de boa comida, contam com espaços ou atrações especiais para os pequenos.

Quer acessar os outros posts da categoria? Clique aqui.

Um abraço,

Mãe de duas, já vivenciei o término de duas licenças maternidade. Sei o quanto sou privilegiada por ter tido duas licenças maternidade de 180 dias, que somando às ferias, totalizaram 210 dias de licença. Contudo, das duas vezes, foram os quase 7 meses mais rápidos da minha vida. Digo quase pois da minha primeira filha saí de licença faltando 15 dias para o parto e da minha segunda filha saí de licença faltando cerca de 10 dias para o parto. Portanto, tive de encarar de frente, por duas vezes, a difícil decisão de continuar ou não trabalhando fora de casa.

Para mim, o momento do retorno ao trabalho é um dos momentos mais difíceis da maternidade. Mais difícil do que ficar longe delas por muitas horas do dia, só quando passam por um problema de saúde.

Mas, depois de alguns meses após a volta ao trabalho, sinto que a decisão foi acertada, como contei em um dos textos que mais gosto do blog “Mamãe em tempo integral”.

Contudo, tirando a saudade de carregar o bebê nos braços durante todo o dia, por que nos sentimos tão culpadas por voltar a trabalhar? Porque a sociedade cobra que a mulher pare de trabalhar para cuidar dos filhos, independente se esta mulher pode contar com a ajuda da família na criação dos filhos, independente se esta mulher e seus filhos são financeiramente dependentes do seu trabalho, independente se esta mulher gosta e se realiza trabalhando fora, independente se esta mulher possui tempo de qualidade com os pequenos.

E, após engravidar do segundo bebê, percebo que esta cobrança foi e é ainda maior: “Ahhh, agora você para de trabalhar, nééé? ”

O fim da licença maternidade

Contudo, optar por voltar a trabalhar após o fim da licença maternidade não se trata de “economizar”, viver sem “luxo”, trata-se da mulher ocupando um espaço pelo qual gerações de mulheres lutaram para ocupar. Trata-se de garantir qualidade em saúde e educação para seus filhos (serviços caros no país em que vivemos e que pressupúnhamos ser dever do Estado). Trata-se de garantir o sustento da família caso algo aconteça com o outro que hoje se responsabiliza por isso. E, muitas vezes, trata-se de ter uma renda para ajudar a sair de um relacionamento abusivo.

Com certeza, o fim da licença maternidade foi difícil para mim e para tantas outras mulheres. No domingo a noite dói o peito ao lembrar que por tantas horas da semana que se inicia estaremos longe dos nossos bebês. Mas, trago a minha primeira experiência como mãe da Maria Eduarda para aliviar o coração: com o tempo as peças do quebra-cabeça que parecem ter se perdido com o nascimento do bebê são encontradas e se encaixam. Uma nova rotina é estabelecida e não deixaremos de vivenciar as descobertas do bebê, o vínculo entre mãe e filho são reforçados a cada dia para sempre e o tempo ao lado dos nossos pequenos se tornam tão preciosos que os vivemos com intensidade e dedicação de quem sabe o quão esses momentos são valiosos.

Um abraço,