Revisitando a lista para montar o enxoval da Maria Júlia, encontrei os itens travesseiro anti-refluxo para berço e travesseiro anti-refluxo para carrinho. Mas, afinal de contas, o que é o refluxo gastroesofágico?

De acordo com o Dr. Rubens T. Bonomo, médico pneumologista da minha primeira filha, refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo gástrico (alimentos parcialmente digeridos e secreções) para o esôfago. Os casos típicos são caracterizados por vômitos e regurgitações, entretanto, nem sempre o refluxo se faz presente por estes sintomas. Existe a possibilidade do material refluído ficar contido no esôfago, quando então é chamado oculto ou silencioso, passando despercebido, salvo os casos com manifestações indiretas ou inespecíficas que são indicativas de alguma complicação. Os refluxos quando tem uma evolução isenta de complicações são considerados fisiológicos ou normais, caso contrário, patológicos ou doentes, comumente referenciados como Doença do Refluxo Gastroesofágico (leia o artigo completo, aqui).

E, embora a doença do refluxo gastroesofágico havia sido diagnosticada desde os primeiros meses da minha primeira filha, a doença só foi confirmada através de exame clínico aos 3 anos, época em que diversas medidas anti-refluxo gastroesofágico foram retomadas com rigidez. A última medida foi tomada um ano depois, três meses após completar 4 anos, quando deixou de tomar mamadeira e passou a tomar o seu “tetê” no copo sem tampa, com canudo. Deixar a mamadeira ajudou muito no tratamento do refluxo, pois ela deixou de inclinar-se para beber.

Refluxo Gastroesofágico

E quais são as medidas anti-refluxo gastroesofágico?

  • Elevar a cabeceira da cama na altura de aproximadamente 20 cm (altura de uma lata de leite ou duas listas telefônicas/dois tijolos);
  • Evitar deitar ou estripulias após as refeições – respeitar pelo menos 45 minutos.
  • Evitar líquidos (principalmente bebidas gasosas) durante o almoço e jantar – respeitar um intervalo mínimo de 30 minutos.
  • Dar preferência para uma alimentação consistente. Evitar sopas de consistência líquida e engrossar o leite com frutas ou farinhas (mingaus) – 1 a 3 colheres de chá para 100ml de leite.
  • Evitar alimentos industrializados (enlatados ou embutidos), cítricos, temperos fortes e condimentos, gorduras e frituras – exceto aos domingos, feriados e em festas.
  • Não descuidar do emocional.

E está correto indicar o uso de travesseiros anti-refluxo para bebês?

Não, de acordo com o professor de pediatria da UERJ Ricardo Chaves, em entrevista para o Guia do Pai Moderno (leia o artigo completo, aqui),  “a maior parte das crianças que golfam não tem refluxo. Refluxo é uma doença”. E a pediatra da Unifesp Sandra de Oliveira Campos ensina: “Os bebês não precisam de travesseiro. A função de um travesseiro é equilibrar a nuca com as costas, onde fica o pescoço. Os bebês têm o pescoço bem curtinho, então não há necessidade desse equilíbrio. A partir do quarto, sexto mês, se for iniciado o uso do travesseiro, ele deve ser pequeno, firme e fino. De forma que equilibre a cabeça e o tronco, abrindo a via aérea, nunca a via aérea pode ficar dobrada, porque a passagem do ar vai ficar prejudicada”.

Por isso, só incluirei os travesseiros anti-refluxos na lista do enxoval da Maria Júlia se a doença do refluxo gastroesofágico for realmente diagnosticada.

Deseja consultar o que achei útil ao montar o enxoval da minha filha, há seis anos atrás, e o que acabei não usando? Clique aqui.

Um abraço,

Entre tantas coisas boas de quando esperamos bebê, uma delas é o momento de montarmos o enxoval. E, é natural que as mamães de primeira viagem (assim como eu fui), quase enlouqueçam com tanta coisa para se pensar e com tanta coisa fofa que o mercado tem para nos oferecer. Nessas situações, a inexperiência só potencializa a nossa tendência natural ao exagero. Por isso, escrevi este post para ajudar as futuras mamães que estão nesta fase tão gostosa da maternidade tendo como base minha experiência. Hoje, contarei para vocês o que achei útil ao montar o enxoval da minha filha, há seis anos atrás, e o que acabei não usando. Vou contar também o que me arrependi de não ter comprado. Vamos lá?

O que usei muito:

Enxoval:

  • Pares de luvas
  • Pares de meias
  • Macacões com mangas
  • Macacões sem mangas
  • Macacões de sol (bebês nascidos no verão)
  • Conjuntos de lã (bebês nascidos no inverno)
  • Body manga longa
  • Body manga curta
  • Culote
  • Cueiros de algodão
  • Fraldas de pano
  • Fralda de boca
  • Saco de dormir
  • Chapéu para sol
  • Sapatinhos de algodão, linhas ou lã

Berço:

  • Protetor de colchão impermeável
  • Travesseiro anti-refluxo
  •  Jogos de lençóis e fronhas
  • Mantas de linhas ou algodão
  • Cobertor
  • Edredon
  • Jogo de protetor de berço

Higiene:

  • Toalhas fraldas com capuz
  • Banheira
  • Termômetro para banheira
  • Sabonete neutro
  • Shampoo
  • Condicionador
  • Kit Higiene com: garrafa térmica, algodão e cotonete
  • Creme para prevenção de assaduras
  • Pote de lenços umedecidos
  • Garrafa de álcool 70%
  • Talco
  • Escova de cabelo
  •  Termômetro
  • Fraldas descartáveis

Quarto:

  • Berço
  • Cômoda
  • Trocador
  • Guarda-roupa
  • Cabides
  • Cadeira de amamentação
  • Porta roupas sujas
  • Porta fraldas
  • Abajur
  • Cortina
  • Lixeira com tampa

Passeio:

  • Carrinho
  • Bebê conforto
  • Bolsa grande com trocador
  • Moisés

Outros (usei, mas hoje repenso o uso destes itens):

  • Mamadeiras
  • Chupetas
  • Prendedores de chupetas

Alimentação (podem ser comprados depois):

  • Babadores
  • Cadeirão
  • Jogo de prato
  • Jogo de talheres

As luvas são usadas mesmo no verão, pois são ótimas para evitar que o bebê se arranhe, uma vez que as unhas crescem rapidamente (bem rapidamente!).

As meias sempre caem do pé, mas são úteis quando os macacões estão pequenos e já não servem mais com a dobra do pezinho para dentro (macacões com pé reversível).

Caso opte pelas fraldas descartáveis, considere fazer um chá de fraldas como eu (post completo, aqui).

Veja a nossa experiência com o uso do Chiqueirinho para bebê, aqui.

Ganhei o moisés na maternidade de uma amiga muito querida e ele foi muito, muito útil. Foi no moisés que minha filha dormiu quando estava sobre a minha cama ou sofá. Até os 40 dias de vida, quando passei a colocá-la no berço para dormir, foi no moisés que ela passava a noite. Quando a colocava no carrinho, acho que por ser maior, ela se sentia desprotegida e chorava.

Montando o enxoval do bebê

Moisés para bebês

Usei pouco ou não usei:

  • Conjuntos de camisinhas pagão
  • Camisetas
  • Casaquinhos
  • Viras de mantas
  • Colchas
  • Toalhas felpudas (preferi as toalhas fraldas com capuz)
  • Fita adesiva
  • Pente Tesourinha romba
  • Mosquiteiro
  • Rolinho segura bebê
  • Cercadinho
  • Sandálias e chinelinhos (eles só passam a ser úteis quando o bebê começa a andar)
  • Pinça
  • Óleo para bebê
  • Lavanda ou colônia
  • Porta-chupeta
  • Kit de escovas para limpeza das mamadeiras
  • Babá eletrônica
  • Porta acessórios ou cesta farmácia

O que NÃO comprei e me arrependi:

  • Lixeira com pedal
  • Cadeira de balanço musical
  • Sling
  • Puff para a cadeira de amamentação
  • Saída de maternidade
  • Almofada para amamentar
  • Fraldas ecológicas

Um abraço,

Mari.

Você conhece o portal Akatu Mirim?

O Akatu Mirim é um portal direcionado especialmente para as crianças criado pelo Instituto Akatu, ONG que visa a conscientização e mobilização da sociedade para o consumo consciente.

Por meio de jogos, animações e atividades, os pequenos têm a oportunidade de compreender conceitos difíceis como sustentabilidade – só que brincando.

No site, também há conteúdo para pais e educadores, como dicas e planos de aula.  Uma das coisas que as crianças podem aprender por lá é que consumir com consciência não significa deixar de comprar. E esse é o principal ponto da ONG, que trabalha para mostrar que o consumo depende de um processo que começa antes da compra e termina depois do uso.

Para acessar o portal Akatu Mirim, clique aqui!

A Akatu conta com parceiros como Nestlé, Walmart Brasil, Santande, GPA, Natura, Globo, Coca-Cola Brasil, entre outros. Mas, se você se identificou com o projeto e deseja participar fazendo sua doação, clique no banner abaixo.

 

Um abraço, Mari.